A VOZ DO SARGENTO PIMENTA


REDUZIR A MAIORIDADE?

Saudações Caríssimas e Caríssimos

Entre tantas discussões recentes, a que mais chama a atenção, sem dúvida é a redução da maioridade penal. Uns dizem que é algo premente e outros dizem que não passa de uma medida inócua. O fato: do jeito que está hoje, não pode e nem deve ficar.

O problema – como tudo na Terra de Vera Cruz – é que muitos querem defender apaixonadamente sua posição, porém sem conhecê-la minimamente. Aos que defendem a redução, o fato de que “se podem votar, podem responder por seus crimes” ou “sabia muito bem o que estava fazendo”. Na verdade, a ideia é meramente vingativa, no sentido – plenamente justificável, como diria Sherazade – de punir o menor que pratica crime.

Os que se posicionam contra dizem que a medida não diminuirá a criminalidade – o que este velho militar concorda plenamente – e que o jovem “é uma vítima social que não pode ter seu futuro perdido por conta de um ato inconsequente em sua imatura juventude...” o que é uma bobagem tremenda, principalmente se levarmos em conta a isonomia. Sim, ela. Aí uso o argumento dos favoráveis “se sabe escolher o presidente...”

Mas um fato passou despercebido. Em fevereiro do ano passado uma CCJ no senado vetou uma proposta do senador Aloysio Nunes Ferreira. A proposta – para lá de justa e coerente - do tucano tratava de punir apenas menores REINCIDENTES em crimes hediondos. Cansamos de ver casos em que o menor ao ser apreendido, revela-se um criminoso contumaz, mas aos olhos do ECA, não passa de um menino travesso. A comissão – dominada pelo PT, PMDB e PSOL (o nanico PSOL!!) – rejeitou a proposta, por entender que ela “violava direitos básicos dos jovens...” Na prática foi uma boa oportunidade dos pavões da esquerda mostrarem que são eternos defensores dos frascos de comprimidos. A proposta puniria reincidentes. Se reincidiu, significa que as ferramentas disponíveis falharam, então que utilizemos outras. Mas não. Na disputa do holofote vale tudo, inclusive colocar o carro na frente dos bois.

Mas a medida mais racional e justa foi a do governador Geraldo Alckmin. Ele propôs aquilo que poria fim à discussão. Primeiramente não se reduziria a idade penal. Ele propõe que em vez de apenas três anos preso – ops, desculpem humanistas do bem, apreendido – o menor fique oito – o que é pouco para um latrocida, mas melhor do que os nunca cumprido 3. Outra obviedade que o governador pede: quando o infrator completar 18 anos, ele será separado dos menores, isso dentro da própria FEBEM – ops, fundação Casa. Nada de menores em presídios com adultos, nada de redução. Apenas o óbvio, o necessário. A nossa esquerda gritante e festiva imediatamente se pôs contra Alckmin, com os motivos coerentes e racionais de sempre: ele é do PSDB e ele é fascista. Eles estavam tão certos que nesta última semana, vejam só, diante da inevitável aprovação de uma redução efetiva da maioridade penal, a ilustríssima presidente(a) está indo atrás de Alckmin para que o congresso em vez de reduzir a maioridade, tome as medidas propostas dois anos atrás pelo tucano! Pois é minha gente. Isso é o debate no país. O cara não foi ouvido simplesmente por ser do partido X. Agora que a água está batendo na bunda, ele se torna o oráculo.

Independente do que ocorra, a verdade é uma só. As leis que tratam de crimes cometidos por menores deve ser revista em profundidade. Não dá para continuar com o velho papinho da vítima social. Não dá para continuar ignorando que era mentira que apenas 0,5% dos homicídios são cometidos por menores, até porque já se descobriu recentemente que não existem dados oficiais que quantifiquem isso, e que qualquer levantamento preliminar demonstra que a participação de menores em latrocínios e homicídios é muito, mas muito maior que 0,5. Não dá para continuar aceitando que menores estupradores, latrocidas e traficantes fiquem menos de 1 ano presos e saiam como se fossem reús primários. Isso é inadmissível para o cidadão honesto, principalmente para os mais pobres, continuar tentando provar para seus filhos que uma vida honesta vale a pena. Deixar as coisas como estão, como propõe a esquerda festiva e os “humanistas” de butique é de uma irresponsabilidade proporcional à frieza de certos dimenor.

 

 

O SARGENTO



Escrito por SGT. PIMENTA às 20h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




SUÍÇA OU CAPÃO REDONDO?

Saudações Caríssimas e Caríssimos

Na presente data duas notícias chamam muita a atenção. A notícia 1 é a coqueluche dos militantes profissionais, dos DCEs, dos Sakamotos, das Genros, enfim da burrice em geral: A divulgação do relatório da tal comissão da “verdade”. Notícia 2: Brasil tem o maior número de homicídios do mundo. Adivinhem o que terá mais destaque na mídia?

Uma conclusão é inevitável. A burrice nunca foi tão desavergonhada como hoje. Ela tem representatividade mais forte do que em outrora. Estamos nos tempos da “Presidenta”, do coletivo, do rolezinho, da elite branca e da comunidade. Durante as eleições o argumento era um só: Luiz Inácio e a presidenta melhoraram a vida de milhões de pessoas. Não existe mais fome, todo mundo pode ser doutor, antes não. Vocês querem voltar ao passado? Asneiras como essas saiam automaticamente dos relinchantes eleitores da “presidenta”. Sempre disse que isso não passava de uma falácia. As pessoas que defendiam que o Brasil era outro certamente nunca viram o Brasil real. O Gregório, a Chauí, a Leandra Leal, o Sakamoto, entre outras estrelas da constelação de burrius não podem afirmar que o país melhorou, pois para eles sempre esteve bom. Para os que não são artistas e defendem mesmo assim, desafio: diga uma única favela que diminuiu. Uma única. Desenvolvimento é uma TV 42 na sala e uma vaga na Unicu? E para comprovar que nada do que Luiz Inácio e a “presidenta” dizem é verdade, a notícia que não é novidade faz tempo: O Brasil é onde mais se morre por homicídio no mundo. Os detentores do bem sempre disseram que bandido é uma pessoa boa que ficou má por causa das injustiças sociais. Um disse até que eles agem assim para chamar nossa atenção. Ótimo, então como a criminalidade praticamente dobrou no governo do PT? O Brasil não melhorou seus padrões sociais? Tem certeza? E o que isso tem a ver com a comissão da “verdade”? É que no mesmo dia que a ONU divulga o “honroso” título do país, a tal da comissão recomenda em seu relatório recomenda o fim da Polícia Militar, o ensino de valores humanos nas Forças Armadas, mudança no currículo das academias militares e afins. Outra conclusão inequívoca: A esquerda brasileira vive com a cabeça na Suíça e a realidade mora no Capão Redondo. 

A constituição de 88 já errou e nos condenou ao eterno atraso por seguir essa filosofia suíça numa realidade bem brasileira. Os oráculos da burrice insistem nisso ainda. A PM é só um produto do meio e um mal necessário. Só isso.  Um policial é aquele que estudou para passar num concurso público – método de ingresso que já é errado por natureza – que ganha 2 mil por mês, encino mediu compreto, com uma pistolinha na cintura. Só isso. Por trás da farda existe um brasileiro, tão deficiente em sua formação quanto a maioria. O próprio sistema incentiva o policial a ser corrupto. Mas para os oráculos da burrice, o único que é forçado a entrar para o crime é o desfavorecido social, policial é um ser privilegiado que se torna corrupto por ambição. Os dois são bandidos, oras!

Enquanto os intelectualoides de 23 mil por mês, bem como a tal classe artística, os DCEs e toda a esquerdaiada nacional mantiverem-se a uma segura distância da realidade, com sua mentalidade suíça, a realidade, a verdadeira, nua e crua continuará tão perversa como sempre foi. Num país de 70% de analfabetos funcionais, com 50% sem saneamento e com a maior taxa de homicídios do planeta não pode ficar se dando ao luxo de discutir o sexo dos anjos ou trazer à tona fatos que ocorreram há mais de 40 anos como se fossem do caráter mais urgente. Muito menos pensar em qualquer medida de segurança – como extinguir a PM - sem mudar a cultura nacional e sua fomentadora, a escola. Não podemos pensar a Suíça enquanto o Capão Redondo for o Capão Redondo. Mas o esquerdista é igualzinho um corno apaixonado, não consegue ver o óbvio ululante.

O SARGENTO

 

Como a mídia – dominada por jornalistas que não sabem o que é pobre, mas dizem que o país está melhor – só vai mostrar a tal komição “da verdade”, este velho militar traz para você a matéria que deveria ser lida pela “presidenta” em cadeia nacional. http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-tem-maior-numero-absoluto-de-homicidios-do-mundo,1604827  

  Este post foi feito ao som de Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua de Sergio Sampaio



Escrito por SGT. PIMENTA às 19h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PROFISSÃO BONZINHO

Saudações Caríssimas e Caríssimos

Hoje estava navegando por notícias quando me deparo com o jênio Leonardo Sakamoto. Conheço pessoas que o acham maravilhoso “ele luta contra o trabalho escravo...”, “ele pensa nas minorias...” Afirmo: ele pensa nele mesmo. Como todos de suas estirpe (lista longa: Marcelo Freixo, Laura Capriglione, Emicida...) só pensam em se promover o tempo todo, fora o fato deles terem certeza de fazer parte do time dos bons. Quem discorda deles automaticamente são os maus. Conheci a figura oriental do bem quando da morte de Victor Hugo Deppman, aquele universitário que foi morto por um dimenor, mesmo não reagindo ao assalto. No dia seguinte, para não decepcionar os fãs, o tal do Sakamoto soltou o clássico “o assassino é a verdadeira vítima, pois a desigualdade...” Recentemente, outra pérola. Ele disse que numa reunião – prestem atenção nos outros participantes: Gilberto Carvalho e Mário Magalhães, profissionais do bem – concluíram que não foi o marketing que fez Dilma ganhar as eleições, foi a militância. A miltância! Não sou eu quem estou afirmando, mas sim o resultado eleitoral, que em quase todos os centros urbanos do país – fora os do Nordeste – o PT perdeu feio. E é justamente nestes locais que a tal militância age com maior eloquência. Todos sabemos onde e como o PT ganhou e não tem nada haver com militância, pelo contrário: o crescente anti-petismo se dá justamente por conta desta militância, que para o cidadão comum, o que trabalha e sustenta o sistema, esse papo de militância soa como “vagabundos que vivem de política e de pobre.” Depois de tantas asneiras, coisa de quem nunca conviveu com uma periferia, que desconhece, ou finge que, as reais razões da desigualdade, hoje o japa conseguiu se superar. Ele coloca em seu famoso blog –  oráculo da juventude “antenada” e “engajada” de dentro do quarto -  que quem deveria assumir a Comissão dos Direitos Humanos, ou fazer parte do governo para cuidar disso, deveria ser um dos maiores representantes do bem atualmente, o indefectível e coração de ouro, Jean Willys! Jean Willys, o ex-BBB. Aquele que chegou ao congresso com apenas 13 mil votos, mas que por uma excrescência da lei chegou à câmara. Aí, com todo o auxílio dos quase 100 mil mensais a que tem direito, entre salários e benefícios fez autopromoção midiática durante 4 anos. Não apresentou nada à população e reelegeu-se com o voto “antenado e “engajado”. Jean Willys, aquele que não faz e diz nada a não ser privilégios – sim, privilégios, não direitos – dos gays. Ele diz ser um representantes das minorias, mas nunca ouvi ele dizer a respeito de deficientes, que também são minorias. Isso não dá Ibope, e um ex-BBB sabe o que é Ibope. Jean Willys, aquele que disse que um deputado não ganha bem, que quem ganha bem são os executivos das multinacionais. Só para lembrar: executivos: pagos com dinheiro privado. Deputado: pago com dinheiro público.  Deixemos o ex-BBB e ex-repórter da Ana Maria Braga para depois, voltemos ao Sakamoto, o paladino do bem.

Já faz algum tempo eu escrevi neste blog acerca da juventude “antenada” e “engajada” que faz campanha e atua a favor de vítimas na África, contra a PM e  pelo social. Tudo isso de dentro de sua universidade, de seu quarto com ar-condicionado e participando pelo seu Ipad comprado na última viagem ao exterior e que também foi protagonista nas (sic) “Manifestações de Junho”. Para esses, pessoas como Sakamoto são considerados deuses, detentores supremos da verdade e da bondade. Só não param para ver, por mera falta de condição intelectual e cognitiva – a Chauí avisou que a classe média é burra – de perceber o óbvio ululante: o quanto pessoas como Sakamoto são farsas absolutas e cristalinas. Vive em seu mundinho universitáriopequenoburguêsantenadoengajado, a uma distância segura de pobre. Mas ele é bonzinho profissional, e esses, com suas pelezinhas de cordeiro, apresentam-se como inquestionáveis. O problema não é ele. O cara é ligeiro e paga sua conta de luz e seu Notebook Apple com isso, afinal o mundo é dos espertos. O problema é quem compra isso e sai repetindo que um cara como esse é digno de credulidade e respeito. Quando leio Sakamoto e afins – são vários – lembro-me de uma famosa frase que diz que a diferença entre a inteligência e a estupidez é a de que a primeira é limitada. Sakamoto e os bonzinhos não têm limites.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Cowgirl in the Sand de Crosby, Stills, Nash and Young



Escrito por SGT. PIMENTA às 18h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




E NÃO É QUE É PT DE NOVO?!

Saudações Caríssimas e Caríssimos

Hoje chego a uma inequívoca conclusão. Podem fazer a experiência: o brasileiro padrão esquece qualquer coisa em 20 dias. Esse é um prazo de validade fixo. Se você matar alguém de sua rua, basta sumir 20 dias. Quando retornar a mãe da vítima vai até perguntar como foi sua viagem. Se a sua mulher lhe apanhar em flagrante delito, sem problemas: viagem por 20 dias que na volta será recebido com honras militares. Vocês duvidam? Oras, então não acompanharam a eleição 2014...

Em 20 dias de campanha o brasileiro médio esqueceu de muita coisa, haja vista a ininterrupta liderança da candidata petista. 20 dias foram suficientes para esquecermos o mensalão, em que boa parte da antiga cúpula do PT fora enjaulada. Mas isso é fichinha. Esquecemos da compra da refinaria de Pasadena, algo que valia 42 milhões e pagamos mais de 1 bilhão no negócio. Esquecemos que a inflação estava estourando o teto de sua meta – essa noção de responsabilidade, meta de inflação, criada no governo FHC – e que os preços insistiam em subir. 20 dias pulverizou o fato da “presidenta” não ter feito nada de inédito, a não ser continuar políticas criadas pelo seu antecessor – e criador. 20 dias volatilizaram do inconsciente nacional a indecência que foi a mais superfaturada de todas as copas do mundo. 30 bilhões de dólares que poderiam ter sido 10, mas graças a supereficiência nacional saiu pelo triplo, e ainda houve quem pusesse bandeirinha do Brasil no carro. Em 20 dias o brasileiro esqueceu que no ano passado muita gente protestou por mudanças, mas veja só, a campanha de Dilma tinha por slogan “governo novo, ideias novas”. Governo novo, ideias novas. O mesmo governo há 12 anos! Aliado ao mais retrógrado do que existe na política, mãos dadas com Temer, Sarney, Renan, Collor...

Essa teoria dos 20 dias o PT descobriu antes de todo mundo e a utiliza melhor que ninguém. Se 20 dias são suficientes, imagine 12 anos, o que não daria 4380 dias?

Esse período foi suficiente para criar no inconsciente coletivo uma noção de ineditismo a partir de 2003. “Nunca antes na história desse pais...” dizia Luiz Inácio quase que diariamente. Numa articulação midiática e populista jamais antes vista – isso sim, bem inédito- que deixariam Getúlio e JK se sentindo amadores. Fizeram milhões de pessoas acreditarem que suas vidas haviam melhorado. Agora tem comida, casa, carro, LCD e cultura. O outro lado da moeda ninguém contabiliza. Como é possível a vida do pobre ter melhorado se a violência explodiu nos últimos 12 anos, expondo justamente o mais humilde a ela? 56 mil homicídios por ano, 80% de pessoas mais pobres. Como a vida melhorou se a infraestrutura mais básica inexiste? O Zé compra o carro popular – e o carro brasileiro continuou o mais caro do mundo – em 60x, paga três carros ao final, e não tem rua nem segurança para andar. O Zé não tinha convênio médico, mas percebeu que saúde pública não existe. Aí ele fez um e viu que esse não lhe cobria em nada e ficava tudo por isso mesmo. Um dia o Zé quis sair do bairro – muito precário – onde morava, mas viu que um financiamento da Caixa exige pelo menos 40 mil na lata, e o apartamento que ele gostou, de 60 m² custa 500 mil. Ele ganha 1500 o que o faz ter orgulho de pertencer à nova crasse média. E o Zé continuava feliz com seu governo que olha para ele. Aí ele conseguiu ver sua filha entrar na faculdade. A menina se formou – teve festa e tudo – mas ela não arruma emprego que lhe pague mais que dois salários mínimos. Ah Sargento, você é reaçacoxinhatucanoqueodeiapobre! Não vê os milhares de jovens que entraram nas faculdades? Isso é o futuro! Claro. E o Lula é abstêmio. O que adianta você colocar pessoas semianalfabetas numa faculdade. Isso se assemelha a farsa de FHC ter colocado 97% das crianças nas escolas básicas. Sabemos que ele não colocou, mas as jogou com sua LDB feita goela abaixo do bom senso. Mas o que importa é o número final, igual o PT faz com os univerçitarius. O tal acesso à casa própria foi tudo o que os grande empresários do setor queriam: a falta de regulamentação do governo fez a mão invisível do mercado agir com toda a força TRIPLICANDO os preços dos imóveis e de seus aluguéis. Ficou ruim para quem mesmo? Mas não são os tucanos que só veem os empresários? Sem falar de Eike Batista, Joesley Batista...

A manjada frase de que Lula foi pai do pobres e mãe dos ricos é uma verdade inconteste, mas nada que 20 dias não resolvam.

A reeleição de Dilma me fez lembrar do idiota refrão cantado em uníssono nas tão quanto idiotas manifestações do ano passado: “o povo acordou, o gigante acordou...” Acordou. E era um sonâmbulo que saiu de casa e estava agora no meio de uma avenida movimentada.  Nessa podre eleição Dilma numa podre campanha foi reeleita. Mas em 20 dias volta a ser a padroeira dos fracos e oprimidos.

Não esperaremos 20 dias. Já estamos pagando a conta agora.

O SARGENTO  

 

Este post foi feito ao som de Too Drunk To Fuck do Dead Kennedys



Escrito por SGT. PIMENTA às 20h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O PT NÃO PODE SER REELEITO

Saudações Caríssimas e Caríssimos

Aviso que o texto de hoje é longo. Mas peço a atenção de vocês ao lê-lo. Temos que ir às urnas no domingo com plena consciência do que está havendo. Por isso peço novamente a atenção para estas palavras.

Vamos a um fato incontestável? Dilma não pode ser reeleita. Ponto. Explico os óbvios porquês.  Ah eu sabia, esse Sargento é um reaça, coxinha, quer o PSDB de volta e que aqueles negros dias voltem impedindo as conquistas dos últimos 12 anos. São baboseiras assim que me fazem temer a reeleição, não de Dilma, mas do PT. Para quem não sabe, fui petista, por muito tempo, com direito a perder minha bandeira do Lula na eleição 98, pois eu tentei entrar com ela no local de votação. Votei em Lula em 98 e 2002. Depois nunca mais. Foi com perplexidade e tristeza que vi que o PT não era só mais um. Era muito pior que os outros. Nenhum, afirmo, nenhum partido possui a organização que o Partido dos Trabalhadores tem. Nenhum tem uma militância mais aguerrida, capaz de ficar sem dormir para trabalhar por um candidato. Nenhum tem a capacidade de aglutinar milhares de seguidores Brasil afora por um projeto, seja ele qual for. Esta aí o grande problema. Não se iludam. Milhares de organizações – que deveriam ser não governamentais, afinal chamam ONGs – sindicatos e outros grupos – que os petistas adoram chamar de “Coletivos – trabalham para o PT. E trabalham porque recebem dinheiro deles. Deles não, nosso. Vejam os grupos que apóiam o projeto de plebiscito popular, encabeçado pelo PT. São organizações que militam para o partido, algumas há anos. Paranoia? Coisa de reacionário? Então acompanhem a campanha de Dilma. Outro dia o líder do MST, João Pedro Stédile – alguém que há 30 anos vive de pobre e não trabalha – afirmou que caso Marina ganhe “vamos fazer uma invasão por dia”. Disse isso ao lado de uma tal de Lula. Coincidência? Em outra oportunidade várias “ONGs”, entre elas, “Fora do Eixo”, “Movimento “Eu amo ouvir Funk” e a pelega-mór UNE, estavam no programa eleitoral de Dilma se derretendo de amores pela “presidenta”. Há duas semana o capo de Dilma, Sr. Gilberto Carvalho mobilizou a CUT e mais outras associações sindicais para a todo custo desmoralizarem a candidata Marina Silva. Saiu em todos os sites, jornais e afins. Mas é claro que deve ser paranoia de minha cabeça reaça e coxinha.

Os que apóiam o atual governo dizem que o Brasil começa em 2003, com a ascensão de Lula. Seus “revolucionários” programas, encabeçados pelo Bolsa- Família – que é realmente bom – Minha casa minha vida, Prouni, entre outros, “foram os responsáveis por acabar com a pobreza no Brasil e colocar milhões de brasileiros na classe média”. As tais conquistas, podem ter certeza, são para lá de questionáveis. Peguemos uma família que nos anos 90 era formada por um casal e cinco filhos. Naqueles tempos seriam considerados classe D, quase na linha da miséria e não eram poucos nessa situação. Hoje são 7 pessoas com renda nessa família o que os faz serem classe média. Não foi mérito do PT, mas sim da demografia. Não neguemos, sob hipótese alguma, as reais conquistas do governo petista. Primeiramente a inclusão de uma agenda social no país, algo que nunca houve. Segundo, um aumento substancial do salário mínimo, o que provocou um real ganho econômico aos mais pobres. E o principal, a manutenção da bem sucedida política econômica do antecessor Fernando Henrique Cardoso, inclusive com a instalação na presidência do Banco Central de um notório executivo do mercado Financeiro, Henrique Meireles. E paramos por aí. O resto foi consequência de outros projetos bem sucedidos, citando aí até a abertura econômica do país em 1990, por Collor e a mais incisiva de todas, talvez na história brasileira, o plano Real.

Em compensação, iniciou-se um projeto de poder faminto, como “nunca antes na história desse país”, parafraseando o messias Lula.

Afirmam que antes de Lula só existia o vácuo, o que está longe de ser uma verdade. Depois fizeram crer que agora pobre era classe média, mas não uma classe média coxinha e chata, que paga imposto e não gosta de pobre, porque é sádica, quase uma paráfrase a lá Marilena Chauí, “a fisólofa”.  A classe média do PT é muito melhor, pois ela mora em favela e é feliz – isso saiu numa pesquisa!!  Que dá valor a sua cultura – traduzindo: Funk, pagode, churrasco na laje, Esquenta aos domingos. Uma classe média que consome – mesmo que seja no cartão, a juros exorbitantes, ou a financiamentos a perder de vista – uma classe média que estuda em escola pública, saindo analfabeta dela direto para uma faculdade de 300 conto ao mês, onde sairá mais analfabeta ainda, mas crente que agora é Dotô. Uma classe média que entende que melhorou porque agora compra um celular de última geração, uma LCD na sala e um carro em 60X. Mas não percebem que os serviços básicos, seus verdadeiros direitos, não melhoraram em nada. Falamos aí de saúde e educação pública, transporte e segurança, que pioraram e muito nos tempos de PT.  Criaram 10 milhões de empregos. 80 % de dois salários mínimos. E todo esse povo que está se formando graças às benesses petistas? Oras, pegue o diploma e vá ganhar também dois salários mínimos!

A síntese da era PT é Eike Batista. Ele representa exatamente o que é o PT no governo. Uma tremenda farsa. Do nada, como a tal nova classe média, surge Eike Batista, o oitavo homem mais rico do mundo, quiçá o primeiro em poucos anos. Graças a informações preciosas de seu pai, Eliezer Batista, ex-todo poderoso da Vale do Rio doce, adquire minas de metais e poços de petróleo. Lula viu nele a possibilidade de afirmar o seu Brasil de sonhos. Se no seu governo um brasileiro se tornasse o homem mais rico do mundo, o céu seria o limite. Então, nosso messias emprestou a fundo perdido bilhões e bilhões a Eike. O resultado: tudo não passava de um grande engodo. Milhares de pessoas compraram a idéia e literalmente compraram ações das empresas de Eike a 18 contos por ação. Hoje valem 0,99. Muita gente quebrou, inclusive o próprio Eike. O dinheiro do BNDES, nosso dinheiro? Talvez no dia de São Nunca, à tarde. Assim é o governo PT. Um engodo. Melhoramos de vida? Mas por que o país bate recordes em homicídios – estamos em quase 60 mil por ano, por que os serviços públicos inexistem? Por que, ainda, mais de 60% dos brasileiros são semianalfabetos? Por que ainda existem Sarneys, Renan e Collors – todos aliados do PT – comandando os destinos do país. E olha que nem falei da Petrobrás, das privatizações que no governo PT chama-se “concessão”, dos quase 30 mil cargos indicados, do fato de que o PT foi um pai para os pobres. E uma generosa mãe para os ricos.

Portanto peço que ao entrarem na cabine de votação no domingo, não se esqueçam de tudo isso que leram. Não estou dizendo que devam votar em Aécio ou Marina. Estou só afirmando, baseado em uma observação minuciosa dos acontecimentos – saibam que ano que vem este blog completa 10 anos – e que o relatado aqui são só fatos, nada além deles. Por isso o PT, representado por Dilma, não pode sob hipótese alguma ser reeleito, sob pena de criarmos um país irrecuperável para as próximas gerações.

O SARGENTO   



Escrito por SGT. PIMENTA às 18h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




GOLPE DE ESTADO FRESQUINHO

Saudações Caríssimos e Caríssimas

Isso que você está lendo não é fruto de imaginação fértil, delírio paranoico ou efeito de drogas psicoativas. Isso que você vai ler é a mais pura realidade, por incrível que pareça, o texto ficou um pouco longo, mas vale a pena. Há alguns meses li na internet acerca de um movimento que pleiteia a formação de uma assembleia constituinte. Para quem não sabe, essa assembleia, formados por deputados eleitos na eleição convencional, é o mecanismo utilizado para mudar a constituição. Na assembleia basta uma maioria simples para você alterar o que quiser em nossa lei maior. Há uns dois meses vi na rua um cartaz de uma “convocação” para “votar” num suposto plebiscito para que a tal da assembleia constituinte seja formada para que se faça uma “urgente reforma política.” Comentei com colegas que havia um grupo tentando mudar a constituição e na hora ninguém levou isso muito a sério. Hoje, no programa eleitoral da candidata Dilma, estava lá, como todas as cores: “acesse plebiscitoconstituinte.org”. Fui lá conferir no tal site. E qual não foi minha surpresa? Querem saber? Acessem http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/ e confirmem o que está acontecendo. Ao entrar no site cliquem na parte superior no item “Participantes” e vejam que a esquerda e a extrema esquerda, todos eles se juntaram num movimento para alterar ou se possível fazer outra constituição. Na minha concepção isso se chama GOLPE. Esse mesmo movimento já ocorreu na Venezuela e agora chega ao Brasil. Estão duvidando? Vejam a lista. A primeira delas se chama A Mariguella, o guerrilheiro que na ditadura queria implantar no país um governo igual ao de Cuba. Continuando a pesquisa também verão Arte das Ruas (ADR), Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT), Central de Movimentos Populares (CMP), Central Única das Favelas do Rio Grande do Norte (CUFA), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Fora do Eixo, Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD), Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo (MTC), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) – e Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH)  e mais uma série de grupos intitulados “sociais” ou “populares”, totalizando mais de 450 organizações e personalidades ditas “progressistas”. Na prática é um bando de pessoas que não estão nem um pouco preocupadas comigo ou com você. Querem a parte que lhes cabem no latifúndio, ou seja posições de destaque no governo e de preferência num governo que, por lei, não terá oposição. Recentes pesquisas apontam um desejo de mais de 90% da população pela redução da maioridade penal. Essa gente é contra. A maior parte da população é contra o aborto – embora eu discorde da maioria – mas o grupo é a favor. A maioria é contra casamento gay e o tal grupo é a favor. Mas dane-se a maioria. Na cabeça deles esta maioria é ignorante, desumana e reacionária. Eles é que sabem das coisas e o recente decreto 8243/14 oficializa a formação de “comitês populares” para decidir o que é bom para mim e para você. Não conhecem essa lei? http://www.folhapolitica.org/2014/06/jurista-ives-gandra-alerta-decreto-8243.html Acessem este link e descubram que a formação do golpe esquerdista não vem de hoje. 50 mil homicídios por ano e mais da metade da população analfabeta são detalhes banais. Existem coisas mais importantes, como total liberdade aos gays, legalização das drogas e fim de qualquer atividade religiosa, menos a umbanda. Cultura? Só a “popular” que presta, por isso MC Guimê, Valeska e Thiaguinho serão nossos expoentes culturais.

As instituições – e fazemos parte delas – têm que fazer algo para evitar este golpe de estado em curso. A reforma política é necessária e urgente, mas visando ao bem coletivo e não a grupelhos que não tem nada a ver com as nossas efetivas necessidades como segurança, saúde e educação com qualidade. Não temos tempo de ficar discutindo Gramsci , Che Guevara e Hugo Chavez. Todo mês vem conta de luz, água e principalmente impostos. Impostos esses que estão sendo usados pelo PT para bancar toda essa campanha. A maior parte dessas “ONGS” são bancadas pelo governo, com o nosso dinheiro! Nosso imposto de renda e demais contribuições. Estamos pagando as armas que vão atirar em nós. Acessem o site no link que coloquei neste post, divulguem aos amigos e conhecidos e durmam cientes de que um golpe está em curso. Pode ser que depois de tudo isso suas vidas não sejam mais as mesmas e tenhamos que viver uma realidade de desmandos, autoritarismo e sobretudo ignorância. Não se omitam. Ao não votar em ninguém de PT, PC do B, PSOL, PCB e afins você já está contribuindo sobremaneira para cortar as asas dessa gente para lá de mal intencionada, afinal qualquer pessoa que tenha um ideal é louvável. Já uma pessoa que vive de seu ideal é um eterno suspeito.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Fear of the Dark do Iron Maiden 



Escrito por SGT. PIMENTA às 22h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




LIMPANDO-SE COM DINHEIRO

Saudações Caríssimos e Caríssimas

Há algum tempo governo e clubes de futebol – sob a vigilância do grupo Bom Senso FC – iniciaram negociações para que dívidas referentes a impostos e outros tributos sejam “renegociados”. Engraçado. Já não é de hoje que a bolsa da Viúva é atacada pelos clubes de futebol do país. Loterias esportivas, timesmania, leis especiais. Essas e outras facilidades que nenhuma empresa séria ou um cidadão comum teria todos os times têm. Vejam que ironia: os times gozam de uma benesse na lei tributária em razão de serem “organizações sem fins lucrativos”. Sem fins lucrativos! Peguemos o caso mais emblemático. O Corinthians, no ano em que foi rebaixado, 2007, possuía uma dívida de 120 milhões de reais. Passados menos de 10 anos o clube amealhou patrocínios milionários, algo em torno de 30 milhões/ano, cotas de tv de 100 milhas anuais, fora o belo incentivo de 400 paus em isenções fiscais para construir seu estádio a título de servir para abertura da Copa do Mundo. Durante a tal renegociação das dívidas, adivinhem quem era um dos clubes chorando miséria? Ganha um ingresso de 80 pilas – preço médio cobrado nos últimos jogos - para a próxima partida deste clube. O Corinthians é só um dos  casos escabrosos e corruptos que assolam o futebol brasileiro. Há clubes que também devem os tubos ao governo – traduzindo: para você contribuinte – e contratam jogadores a 600 mil por mês! Outros adiantam cotas milionárias com a Rede Globo, fecham contratos nababescos com patrocínio e fornecimento de material esportivo e têm o privilégio de ser considerada instituição sem fins lucrativos?! E ainda por cima não pagam nada do que devem? Onde então foi parar todo este dinheiro? Será que utilizaram o dinheiro como na ilustração do post? Todos os clubes das primeiras divisões devem zilhões ao governo, fora a seus próprios funcionários, atletas, INSS,...

A grande questão é que até agora, por razões óbvias, os governos ao longo dos anos sempre fizeram vista grossa para o explícito uso lucrativo do futebol e que beneficia meia dúzia de cartolas. A paixão que este esporte causa, aliado a um perverso jogo de interesses fizeram com que, em nome, dele, tudo seja válido. 2+2 pode dar 8, atletas nitidamente ignorantes transformados em “exemplos de vida”, ignorar as leis como regra. Qualquer absurdo se justifica em nome do esporte, afinal aqui é o “país do futebol”.

Há menos de um mês a seleção alemã nos jogou na cova e a holandesa terminou o enterro. Ficou patente que o tal “jeitinho”, a tal da “ginga”, a “malandragem” não foram páreo para o estudo, a metodologia, o esforço coletivo alemão. A proporção foi de 7x1, podendo ter sido 10x0. O fato é que desde que o futebol profissionalizou-se, por volta de 1974, o futebol brasileiro ficou 24 anjos sem ganhar uma copa e só venceu em 94 por pura falta de adversários de qualidade, tal como em 2002. Fomos o único país que teve jogo oficial dois dias após a final da Copa. Os outros países estão com o futebol em férias. As nações que sempre estão na ponta dos esportes como EUA, Alemanha, Inglaterra, China assim o são, pois investem no esporte no seio de sua juventude, ou seja, dentro das escolas. Os clubes alemães montam dentro de escolas públicas alemãs centros moderníssimos de treinamento. Ganha o país, ganha o jovem, ganha o torcedor. E no Brasil? Clubes (traduzindo, dirigentes) faturam milhões, não pagam um tostão de suas dívidas e ainda têm o aval dos governos. A Rede Globo, que junto com a CBF é proprietária do futebol brasileiro já iniciou campanha para que as dívidas sejam perdoadas. Essa mesma empresa é uma das grandes responsáveis pela decadência do futebol brasileiro. Primeiro porque paga quase o dobro das cotas de TV a apenas dois clubes em detrimento dos demais. Segundo que bloqueia qualquer tentativa de mudança no calendário, mais incisivamente na redução do número de jogos e na antecipação do infame horário dos jogos de quarta-feira, 22:00, caso único no mundo! Por essas e outras várias que não vi motivo nenhum para torcer pelo Brasil na copa. A lavagem cerebral nos dias do mundial, aliado a toda essa bandalheira que reina no futebol desde sempre é que faz com que a cada dia muita gente pegue aversão a este tão apaixonante esporte. Mas não tem problema, afinal só nóis é penta!

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Nada Será Como Antes do Clube da Esquina

 

 



Escrito por SGT. PIMENTA às 17h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




AGORA É OFICIAL: A BOÇALIDADE FOI ENQUADRADA

Saudações Caríssimos e Caríssimas

Muito de vez em quando milagres acontecem. Entenda milagre por bom senso, algo que só ocorre de maneira sobrenatural em nosso país. Tenho o que comemorar. Primeiro por ver que não estou sozinho, que não sou eu o problema, não sou eu que sou paranoico. Explico. Na pequena Tobias Barreto, em Sergipe, um sensato juiz tomou uma decisão inédita, baseado no seguinte fato: os pais de um aluno entraram com uma ação por danos morais contra um professor. Motivo: o docente confiscou o celular do di menor em sala. Decisão do magistrado: negativa do pedido. E não é só isso. O Homem da Capa Preta não parou por aí. Deu uma verdadeira aula de inteligência e sensatez na sua decisão, texto este que transcrevo agora em seus principais trechos: “julgar procedente esta demanda é desferir uma bofetada na reserva moral e educacional deste país”. Escreveu ainda: "O professor é o indivíduo vocacionado a tirar outro indivíduo das trevas da ignorância, da escuridão, para as luzes do conhecimento, dignificando-o como pessoa que pensa e existe”. E para concluir sua histórica sentença, o juiz, sr. Eliezer Siqueira de Souza Jr, da 1ª vara cível da localidade, emendou a seguinte e óbvia ideia: "Julgar procedente esta demanda é desferir uma bofetada na reserva moral e educacional deste país, privilegiando a alienação e a contra educação, as novelas, os "realitys shows", a ostentação, o "bullying" intelectivo, o ócio improdutivo, enfim, toda a massa intelectivamente improdutiva que vem assolando os lares do país, fazendo às vezes de educadores, ensinando falsos valores e implodindo a educação brasileira".

Num país onde os Di menor podem tudo, em que jogador semi-analfabeto é tratado como exemplo a ser seguido, bem como MCs e Popozudas da vida, ouvir de um juiz em sua sentença oficial – transcrita para os autos e anais jurídicos - aquilo que venho proferindo, na maioria das vezes sozinho é um verdadeiro alento. O momento “cultural” e social em que vivemos é de uma inversão de valores que chego a pensar em não sair de casa. O governo dito de esquerda, que vive pregando “igualdade”, “direitos”, condena a cada dia mais a população, com mais ênfase na sua porção mais jovem a ficar quietinha no quarto escuro da ignorância. Afinal seu maior líder, o Dr. Luiz Inácio Honoris Causa adora dizer que nunca estudou, que chegou lá sem ter lido livros. Então já que o presidente, mais o principal jogador e o agora eleito voz do país, o tal de MC Guimê, adoram bater no peito para dizer que nunca estudaram – o tal do Guimê disse recentemente em entrevista “graças a Deus (sic) nunca precisei estudar”!!!!

Nenhum governo agiu com competência e honestidade quando o assunto foi educação. Nenhum. De 40 anos para cá – iniciado com os Militares - a coisa piorou muito, com mais ênfase nos últimos 20. Estamos colhendo agora os frutos podres de duas gerações que foram cerceadas sumariamente de ter uma educação formal de qualidade. Soma-se a isso ideias “progressistas” de tirar aulas de ensino religioso, musical e de civismo da grade curricular. Soma-se a isso o grande, recente e agressivo avanço digital, que traz ferramentas muito mais alienantes do que havia antes, dando voz a toda boçalidade antes latente.  Soma-se a isso a nossa cultura da “esperteza”, o “Brazilian way of life”- que já escrevi no post “O Sonho Brasileiro”- muito bem representados na Tv e nos estádios. Soma-se a isso toda uma política de esmolas governamentais sem nenhuma exigência de contrapartida.

Deveríamos agradecer ao juiz Eliezer Siqueira de Souza Jr por oficializar que estamos vivendo em uma baderna sem precedentes. Com todas as letras, para todos os Jeans Willys, Hermanos Vianna, Suplicys, Dilmas, Gilberto Carvalhos, Reginas Casés, Randolfis Rodrigues, Wagneres Mouras, Irmãos Marinho e afins ouvirem. Um tapa na cara devidamente embasado.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Walking In The Dog do Aerosmith


OBS: Acesse o link que traz a notícia da definitiva e ululante sentença http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/brasil/2014/06/06/interna_brasil,508726/juiz-nega-dano-moral-contra-professor-que-tomou-celular-de-aluno.shtml



Escrito por SGT. PIMENTA às 22h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




IDEIAS INDIGENTES

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Volto a escrever após constatar que nossa época está sendo uma das mais negras de todos os tempos. E qual a razão disso? Poderia enumerar milhares de motivos, entretanto um torna-se flagrante: a indigência do debate. Mas o que seria isso Sargento? Explico.

A humanidade chegou aonde chegou graças ao debate, ou seja a troca de ideias e experiências. As posições contrárias, os diferentes prismas, os fóruns de discussão. Não a toa, que um dos períodos mais retrógrados de nossa caminhada foi a idade Média, pelo simples fato do debate ter sido sumariamente banido. É o que percebo hoje, em menor escala.

Qualquer discussão que tenhamos hoje é visto como um banal e vulgar Fla X Flu. Ou você é ou você não é. Eu por exemplo, sou a favor da redução da maioridade penal – por razões óbvias – porém sou contra a pena de morte. Tenho consciência de que na ditadura o Brasil – em termos econômicos – era muito melhor planejado, todavia sou categoricamente contra a tortura e plenamente ciente do mal que os militares causaram, como ninguém, à educação e a cultura deste país. Sou contra o homossexualismo, “afronismo” e feminismo metido a “engajado”, mas sou a favor do casamento gay, das cotas – em caráter provisório – e do aborto. E aí reaças e esquerdinhas? Definam se posso estar no time de vocês.

A verdade é que não discuto política sob a visão futebolística. Discuto sob fatos e suas consequências. Essa visão futebolística talvez seja um dos inimigos culturais do país. O brasileiro não discute nada, nem se prefere arroz ou macarrão sem trazer para dentro do “debate” uma paixão clubística. Ou você concorda ou você não presta. Simples assim. Parece conto de fadas. De um lado os bonzinhos (Eu), do outro os malvados (eles). Não podemos admitir, de jeito nenhum que o Fernando Henrique quando esteve lá, normatizou e colocou para andar a congelada economia nacional. Mas não, ele é um maldito neoliberal, mesmo muita gente da esquerdaiada não saber o que é liberal, muito menos neoliberal. Outros não podem admitir que Lula incluiu pela primeira vez de maneira efetiva, uma agenda social ao governo. Isso o Rodrigo Constantino e os demais seguidores da Veja não admitem de jeito nenhum. Por outro lado FHC, assim como Lula, tratou a educação como algo de menor importância e com a cultura idem. Alguma diferença para os militares neste aspecto?

Mais uma vez cito Nelson Rodrigues Ah, eu sabia que você era reaça sargento! O Nelson é um ícone da direita golpista! Não caro leitor. Nelson Rodrigues foi um maldito em sua época. Para uns um tarado, para outros um reacionário de mão cheia. E ele dizia que só os profetas enxergam o óbvio. Tá faltando profeta no mercado ultimamente.

O SARGENTO

 

Este post foi feito ao som de 2112, do Rush 



Escrito por SGT. PIMENTA às 19h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




OLIGARQUIA PETISTA

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Ah se eu tivesse uma bola de cristal! Como a vida seria boa. Lembro-me da política de 15 anos atrás. Naquele ano de 1997 FHC era o presidente e o partidão era o PFL, agora DEM (o). O partido era o PMDB daquele tempo: tinha o vice-presidente, o Don Corleone do congresso – também conhecido como ACM ou Toninho Malvadeza e sustentava o governo em uma macabra aliança. Tal qual PT / PMDB hoje. O PT ainda era o paladino da ética e das lutas sociais. 15 anos depois a mesma estrutura política e econômica ainda prevalece. O que mudou foram os protagonistas, entretanto com uma pequena diferença. Como já dito, PT e PMDB dão as cartas, mas creio que em breve o PT jogará seu aliado para escanteio por uma razão óbvia: não precisará dele nem tampouco de nenhum aliado. Explico caríssimo. O ano de 2012 ficará para a história por que não terminará em 31 de dezembro próximo. Imagino que perdurará por muitos outros. E a eleição de Fernando Haddad em SP tem tudo a ver com isso. A oposição apostou suas fichas no julgamento do mensalão. Acreditava-se que ele acabaria com o PT nas urnas. Exatamente o contrário do que ocorreu na prática. O partido de Luiz Inácio saiu mais forte do que antes – aliás o PT é o único partido brasileiro que cresce ininterruptamente há pelo menos 20 anos – aumentou o número de prefeituras sob seu domínio e ainda levará, certamente, a mais importante delas com Haddad. O mensalão não irradiou para o eleitorado. O que irradia é um projeto de poder muito bem elaborado e executado em que todo mundo ganhou alguma coisa durante a passagem de Luiz Inácio e continua com D. Dilma. Projeto este que extinguiu do imaginário popular as excelentes medidas que seu antecessor e adversário legou ao país e ainda atribuiu para si o plantio e a colheita. O governo Lula foi o primeiro na história brasileira a agradar gregos e troianos. Os gregos (as zelite) nunca ganharam tantos milhões graças ao estímulo ao crédito para os troianos que nunca compraram tantas bobagens (carros em 60x, casas inflacionadas de 60m2 em 30 anos e tv, muitas TVs de 42 para assistir Carminha e Neymar). Só que crédito em linguagem contábil quer dizer débito, sinônimo de dívida. Este é o Brasil pensado para o futuro, um país com um povo endividado e que continua sem dar valor para educação, país de infraestrutura parca e que insiste a continuar hedonista.

O fato é que com tudo isto, caminhamos para termos um partidão que ditará sozinho os rumos deste país. Toda unanimidade é burra, já dizia o centenário Nelson Rodrigues. E no Brasil toda burrice é ao quadrado. Fazendo outra citação, nos arriscamos como nunca antes na história deste país a implantarmos o maior coronelismo da história, só que em vez da figura do coroné, teremos a figura do cumpanheiro, o que soa tão falso quanto perigoso. Alguém tem alguma oposição que preste por aí?

 

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Highway To Hell do AC/DC



Escrito por SGT. PIMENTA às 23h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




UMA GERAÇÃO SOLIDÁRIA.COM

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Outro dia estava folheando uma revista e me deparei com uma matéria a respeito da maior repercussão na história da internet: mais de 100 milhões de acessos a um vídeo em seis dias. A campanha, chamada de Kony 2012 - veiculada via Youtube -  “denuncia” um homem de Uganda, na África central, chamado Joseph Kony. O cara, de acordo com o vídeo, sequestra crianças para transformá-los em milicianos a serviço das centenas de facções guerrilheiras que disputam poder no continente africano. Em poucos dias “o mundo comoveu e mobilizou-se para ajudar as pobres crianças africanas”. A Ong que divulgou o vídeo lançou umas pulseirinhas que, pela web, poderiam ser compradas por 30 dólares. O dinheiro, dizem, seria utilizado na campanha para prender Joseph Kony. Até aí tudo bem, até posso crer que o dinheiro vá para algo humanitário. O problema é como as coisas ocorreram. E o que foi revelado.

Eu li a reportagem do caso na revista Veja. Por incrível que pareça, o discurso era de “olhem como os jovens são antenados, engajados e preocupados”. Mostraram alguns desses jovens engajados – todos explicitamente de boa condição social e com Ipads nas mãos (coincidência, a Veja recentemente oferece seu conteúdo em versões exclusivas para esse dispositivo). Havia uma menina que dizia “ Depois de assitir ao vídeo, estou decidida a ir para a África prestar trabalho voluntário”. Oras, a África é aqui. Esta garota já poderia ajudar se ao menos prestasse atenção no moleque fazendo malabares no semáforo diante da SUV do ano em que provavelmente ela anda. E isto na própria cidade dela, sem ter de ir à África. Um outro rapaz mostrado na reportagem, aluno de uma das escolas mais caras de SP, disse que “após doar 60 dólares para a campanha, virei comentário na escola” E ainda disse: “vamos para a Av. Paulista”. Na mesma reportagem era mostrado outros vídeos que faziam parte de um seleto grupo dos que foram acessados por mais gente em menos tempo. O primeiro é o citado neste post, seguido por outros de irrelevância indiscutível como Susan Boyle ao vivo, Lady Gaga rebolando num clipe, uma tal de Rebecca sei lá o quê – ela canta uma música que repete a palavra Friday incessantemente -  e um clipe do “incopiável” Justin Bieber. A partir do ranking já fazemos ideia do tipo de público que faz a internet uma potência da comunicação. Fora o fato da sensação reconfortante de que “você está ajudando o mundo”. O cara está em seu quarto, com ar-condicionado, Tela 42, Ipad de última geração, usando uma boa roupa e, entre uma olhada no Twitter de alguém famoso e uma curtida no Facebook de alguém, ele fica sabendo de uma campanha para ajudar os anões tiroleses que estão sem Playstation. É só comprar um souvenir de uma Ong e pronto: você fez um mundo melhor. Com o cartão de seu pai, é lógico. É a revelação patente da comercialização da bondade, uma verdadeira brincadeira de ajudar. Brincadeira de mau gosto. Atitude tão verossímil quanto a ilustração desta postagem.

 

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Radio Gaga do Queen

 

OBS: É evidente que eu não deixaria vocês sem o link do famigerado vídeo. Só não vão chorar e dizer que agora fazem parte da legião dos bonzinhos ao comprar uma pulseirinha.

http://www.youtube.com/watch?v=LE_DgntYbpw



Escrito por SGT. PIMENTA às 13h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




NÃO SEI O QUÊ MAS SOU CONTRA!

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Compreende-se que muita coisa dá nojo. Mas o fim da picada ultimamente tem sido as manifestações em defesa do indefensável. Já vimos protestos de várias ordens ao longo do tempo, a maioria absoluta por algum motivo plausível, como, por exemplo, atos contra a corrupção. Mas nos últimos tempos o que se tem visto é uma enxurrada de gente desocupada que sai às ruas para exaltar-se contra o bom senso. É gente defendendo drogado, invasões de propriedade e contra pseudo-atentados à ecologia. Observem a foto. Olhem os manifestantes. Brancos, bem vestidos e “revoltados”. Com o quê?! Dizem que organizam as manifestações pelas redes sociais. As mesmas redes sociais que elegem imbecis do calibre de Rafinha Bastos como “a pessoa mais influente do Twitter”. De dentro de seus confortáveis quartos com ar-condicionado, eles organizam manifestações contra Belo Monte. De dentro de seus seguros apartamentos, eles organizam manifestações contra a polícia. Na volta de seus fins de semana em suas casas de praia eles organizam manifestações contra a reintegração do Pinheirinho. De dentro de suas vidas e mentes vazias eles tentam brincar de gente engajada. Vejam por exemplo o caso da Cracolândia. Só quem nunca conviveu com a podridão do mundo do Crack pode ser contra a ocupação daquela região. Crack não é brincadeira, muito menos os noias o são. È gente que rouba e que pode até mesmo matar. Mas para “os engajados”, são pobres vítimas sociais. Não duvido que o problema social é, frise-se, uma das causas da epidemia de Crack. Mas a partir do momento em que uma região é tomada por uma legião de psicos, a coisa passa a ser, indubitavelmente, um problema de polícia. Na cracolândia existem pessoas normais que vivem lá. Ninguém organizou um protesto pela segurança dessas pessoas. No caso do Pinheirinho idem: ninguém organizou pela rede social um protesto contra a formação da favela, ninguém organizou um protesto pela lentidão da justiça em demorar sete anos e 6000 moradores depois para desocupar o terreno. A questão aqui não é se a polícia agiu certo ou não. A questão é a falta de bom senso de meia dúzia que se acham nos anos 60 e ficam brincando de Primavera Árabe. A menina da foto empunha o cartaz contra a PM. Com certeza ela mora num bom bairro, estuda num bom colégio ou graças a este colégio está numa faculdade pública. Ela não sabe que um soldado da PM ganha pouco mais de 1300 reais por mês, que faz bico de segurança na Padaria que ela compra pão, que vive em um país – conforme o post anterior – em que todo mundo acha que não tem dever e certeza de que tem direito, onde educação é algo raro. Ela vive em um mundo no qual a maioria não faz parte. De sua TV 52 LED 3D e de seu IPAD novinho ela acompanha o mundo e se indigna com o que vê fora do bairro dela. Mas abrir mão do mundinho confortável e climatizado ela não quer. Hippies não possuem bens, moram nas ruas e suas manifestações estão no modo de vida e não em cartazes. Mas isso não é legal, é a antítese da essência dessa molecada branquinha-desocupada-que tem nojo de pobre-pseudosocialistas.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Morro Velho de Elis Regina



Escrito por SGT. PIMENTA às 17h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O BRASIL LEGAL

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Notícia 1: Roubado, professor rastreia tablet, aciona PM, mas fica sem aparelho. A polícia primeiramente alegou, durante a fuga do ladrão – que estava sendo rastreado – que a viatura não poderia sair de sua área. Depois, ao acionar uma delegacia e mostrar em seu Iphone o endereço do ladrão, onde estava seu Ipad roubado, a vítima foi informada que sem mandado a polícia não poderia recuperar o tablet.

Notícia 2: Secretário de Educação critica 'caça' a aluno que cabula aulas. Foi montada, nas proximidades do Parque do Carmo, ZL de São Paulo, uma força-tarefa envolvendo Conselho Tutelar, Guarda Municipal e Polícia Militar com a incumbência de recolher alunos de escolas próximas, combatendo a evasão escolar e uso de drogas. Este fato provocou indignação no Secretário Municipal de Educação, Alexandre Scheneider. Este alega que a polícia não pode usar a força para obrigar os alunos à irem para o colégio, isso não é adequado.

Prestaram atenção nas notícias? O que concluímos? Que algumas de nossas principais leis estão aí mais para atrapalhar do que ajudar nossa sociedade. Indubitavelmente. Na primeira notícia, uma vítima de assalto rastreou o ladrão, em tempo real, foi à polícia – como ela mesma recomenda – e ouviu das otoridades que nada poderiam fazer. A polícia não está errada, afinal ela tão somente seguiu a lei! Na notícia dois, o tal do secretário, muito malandramente, posou de defensor dos coitadinhos – coisa que nossos políticos adoram fazer – e usou a lei, sim a lei (o famoso ECA) para criticar a força-tarefa que, coisa feia, só estava querendo tirar os adolescentes das ruas e mandá-los para a escola. Mas no Brasil das leis que servem, quase sempre, para privilegiar o erro isto foi um ato condenável.

Esses só foram dois exemplos dentre os zilhões que ocorrem neste país. O Bom senso e a inteligência são desafiados diariamente pelos nossos legisladores (traduzindo: Deputados, Senadores e por vezes o Executivo). Nossa constituição foi promulgada três anos apenas após o fim da Ditadura, de modo que nossa Carta Magna foi elaborada sob um enorme clima revanchista, trazendo leis que são maravilhosas, visionárias e humanistas em qualquer país civilizado. Coisa que o Brasil está longe de ser. O Estatuto da Criança e do Adolescente idem. Nossa legislação privilegia os direitos em total detrimento dos deveres. Você acha que os presidiários deveriam trabalhar, como ocorre naquele pobre país conhecido como EUA, não é mesmo? Pois bem, o artigo 5º de nossa lei maior proíbe terminantemente trabalho forçado, de modo que os pobres presidiários podem planejar crimes e usar drogas à vontade, já que a lei garante isso. Se um menor de idade for pego na rua, em horário de aula, não poderá ser molestado e encaminhado para a escola ou para casa, já que o ECA afirma que o menor não pode ser constrangido. Todas essas leis, vigentes há quase 25 anos, produziram uma geração que não aceita ordens, que se acha injustiçada e que deseja seus direitos sem cumprir minimamente qualquer dever. Leis que garantem que assassinos fiquem apenas dois anos presos, mães que não trabalham terem filhos matriculados em creches, menores que podem agredir professores impunemente e daí por diante. Enquanto isso a maioria absoluta dos brasileiros não sabem para que serve um deputado ou um vereador. Mas que importância isto tem? Afinal o Big Brother já vai começar, sediaremos a Copa 2014 e somos a 6ª economia do mundo!  Nossas leis são tão racionais quanto a ilustração deste post.

 

O SARGENTO

OBS: As notícias citadas no início do post encontram-se nos seguintes links:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1021065-roubado-professor-rastreia-tablet-aciona-pm-mas-fica-sem-aparelho.shtml

e http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1013137-secretario-de-educacao-critica-caca-a-aluno-que-cabula-aulas.shtml



Escrito por SGT. PIMENTA às 21h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BRINCANDO DE DITADURA

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Todo mundo acompanhou a “revolta” dos alunos de Humanas da USP, certo? Pois é, e como a maioria também fiquei bastante indignado e, sobretudo estupefato em ver tamanha falta de bom senso e neurônios.  Claro que não formei minhas conclusões lendo a revista Veja. Nem tão pouco lendo o boletim do PCO. O fato: muita gente dentro da maior universidade da América Latina pensa que pelo fato de estar lá está acima da lei, ou seja: não pode em tempo algum ser molestado por fumar seu baseadinho. Essas pessoas alegam que não poder fumar seu baseadinho é um atentado a liberdade. Aí eu me pergunto: e fumar o baseadinho fora da USP, mais precisamente em um bairro próximo a ela, como Paraisópolis? Já pensou no morador de Paraisópolis alegando durante um enquadro da PM que tal atitude dos policiais fere sua liberdade? Pode ter certeza que não seriam tão educados como foram na desocupação do prédio da reitoria. Pois é meus caros, a grande verdade é que  os tais estudantes uspianos precisam de uma boa dose de realidade, coisa que falta dentro daquele ambiente e explico. Seus estudantes, em maioria, são oriundos das classes mais abastadas – os “revoltosos” adoram esta expressão – e sendo assim sempre estudaram em bons colégios, passavam suas férias em casas de praia (quando não viajavam para fora), moram em boas casas e certamente possuíam bons brinquedos. Logo nunca puderam conceber uma ideia de que a polícia que serve exatamente para protegê-los dos pobres, pudesse enquadrá-los como fazem há 500 anos com – vou usar outra expressão que eles adoram – as classes menos favorecidas. Realmente, deve ser complicado para o filhinho da mamãe ouvir de um policial – conforme eles disseram – semi-analfabeto palavras de ordem, onde já se viu. Então alegam que cumprir a lei é uma ofensa a liberdade. Nas aulas só se fala de Marx, Lênin, Fidel e de como o Brasil é burro em não adotar as maravilhas do socialismo.  Só não falam que atrás da faculdade existem favelas, com moradores que jamais terão a oportunidade de freqüentar a USP. Aí você pega um cara que não faz nada além de ficar dentro da faculdade e que está com os hormônios a mil e pronto: um monte de babacas brincando de ditadura militar.        Eu não estava lá, mas o pouco que vi como cartazes dizendo “Abaixo a Ditadura”, “Abaixo a Repressão” e coisas do gênero, pareceram-me tirados direto dos tempos da já citada ditadura, que se fosse vigente neste momento, faria com que estes cidadãos nem começassem a brincadeirinha e teriam coisas mais sérias para se preocuparem. Estes estudantes esquecem durante a brincadeira de guerrilheiro que neste ano um colega deles foi barbaramente assassinado dentro do campus, o que legitimou a presença da PM neste local. Triste saber que isto é o futuro do país. Mais triste ainda é saber que fazem parte da elite estudantil brasileira. Isso é o universitário de hoje: produz sertanejo, pagode, forró e guerrilheiros de mentirinha. Foi-se o tempo que a universidade produzia apenas os pensadores. Pare o mundo que eu quero descer.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Rádio Blá Blá do Lobão

 



Escrito por SGT. PIMENTA às 21h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O PROFESSOR COITADINHO

 

Saudações Caríssimas e Caríssimos

 

Ontem foi “comemorado” o Dia do Professor. Se analisarmos, o dia do professor entra na mesma categoria do Dia das Mulheres, Dia da Consciência Negra, Dia do Índio... em suma, uma data compensatória. Durante um dia o professor é homenageado em prosa em verso até em programas televisivos onde a boçalidade é imperativa. Mas e nos outros 364 dias ? Oras, aquilo que todos sabem: professor é ignorado, principalmente por aqueles que deviam ser os mais atentos. Liste aí alunos, pais e governos. Nesta ordem. Mas o que mais prejudica a categoria que se não é a mais importante está certamente entre as mais, são os focos distorcidos. Como assim Sargento? Explico. Discurso um: a educação precisa de mais verbas. Equívoco. 25% de tudo o que é arrecadado em imposto – e olhe que o Brasil é um recordista neste quesito – deve ser, previsto em lei, investido em educação. O problema é o que se faz com este dinheiro, que pelos caminhos governamentais se perde com facilidade ou é investido em obras eleitoreiras, tais como a construção de prédios superfaturados ou em programas destinados ao fracasso. Discurso dois: professor é mal remunerado. Este raciocínio é quase unânime. Então vamos aos fatos: a média salarial do professor da rede pública no país é de 2.500,00. Sim, um salário que com certeza está longe do ideal, principalmente para um profissional com nível superior, mas que também está longe de proporcionar mendicância a quem exerce a docência. O fato é que grande parte da classe, principalmente na rede pública, simplesmente NÃO QUER TRABALHAR. Sim. O cara quando passa em um concurso, seu primeiro pensamento é sair da sala de aula e entrar na burocracia. Um fato! Quando não consegue entrar na tão almejada burocracia, vive a reclamar que ele não possui condição de trabalho, que não possui estímulos e afins. Mas é o mesmo que não possui compromisso com o ato de educar e adora dizer que segundo Paulo Freire... e no fundo nunca leu um clássico e sabe de cor os vencedores e participantes do BBB. O exemplo clássico do que é o professor hoje é a professora Amanda Gurgel, da rede pública do Rio Grande do Norte. Já faz alguns meses, esta moça fez um discurso na assembleia legislativa de seu estado onde o lugar-comum sobre a educação foi reinante. Disse por exemplo que o professor “não ganha o suficiente para colocar gasolina em seu carro”. Mas se ele é tão miserável, como possui um carro? O discurso de Amanda foi parar no Youtube, causando celeuma na rede, provocando até sua ida ao Domingão do Faustão. Confirmando o que escrevi sobre a mentalidade da classe, após a repercussão a professora filiou-se ao PSTU e promete ser candidata na eleição do ano que vem, ou seja: bye bye sala de aula, graças a Deus.

O professor deve parar com este discurso de que passa fome. Isso só fragiliza a categoria. O professor precisa se valorizar antes de pedir valorização. Isso envolve compromisso, ímpeto e paixão. Estudem, procurem algo melhor, colégios em que se pague mais. Sim, eles existem. Mas deixo um aviso: nestes colégios não entram sindicatos pelegos, cargos indicados, discursos vazios. Entra trabalho, muito trabalho, coisa que grande parte dos professores não está nem um pouco a fim. Duvida? Converse com algum professor de rede pública e veja seu discurso.

O SARGENTO

Este post foi feito ao som de Sweet Emotion  do Aerosmith

 

OBS: Para quem não viu o vídeo desta verdadeira mártir da educação acesse aqui http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA

 

 

 

                                                                                                                              

 

 



Escrito por SGT. PIMENTA às 19h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, PRAIA GRANDE, VILA MIRIM, Homem, de 26 a 35 anos, Kinyarwanda, Armenian, Viagens, Sexo
Histórico
Outros sites
  WHIPLASH
  HOMEM CHAVÃO
  KISS ARMY BRASIL
  LIVROS GRÁTIS
  VIGILANTES DA DEMOCRACIA
  BLOG MINGAU DE AÇO
Votação
  Dê uma nota para meu blog